Mata Atlântica preservada, riqueza de fauna e flora, cachoeiras, cavernas e muita natureza a poucos quilômetros da capital de São Paulo. Um refúgio para se desconectar e recarregar as energias em meio à natureza

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, mais conhecido como PETAR, está localizado a 340 km da capital de São Paulo, na região do Vale do Ribeira. Criado em 1958, figura como um dos mais antigos do Estado e possui  35.719 hectares, entre os municípios de Iporanga e Apiaí. Seus principais atrativos são as cavernas, trilhas e cachoeiras, que estão divididos em quatro núcleos do Parque: Santana, Ouro Grosso, Caboclo e Casa de Pedra.

Aqui está concentrada a maior porção de Mata Atlântica preservada, mais de 380 cavernas catalogadas, sendo somente 12 delas abertas à visitação. A medida visa preservar esses ambientes extremamente frágeis, que por muito tempo sofreram com a degradação humana.

As atrações que não podem ficar de fora do roteiro são:

Caverna do Santana

A maior do núcleo Santana e uma das mais famosas cavernas do PETAR, possui mais 8 km de extensão, sendo apenas 800 metros aberto para visitação. Tem boa estrutura para explorá-la, já que foram construídas passarelas e pontes de madeira.

Caverna do Ouro Grosso

Já imaginou tomar um banho de cachoeira dentro de uma caverna? Aqui é possível! A caverna do Ouro Grosso tem uma entrada bastante estreita, que abre para grandes – e impressionantes – salões escuros e trechos que é preciso praticamente se rastejar. A trilha para acessá-la é rápida e de nível fácil.

Caverna da Água Suja

O acesso para a caverna se dá pela trilha do Rio Betari, outra atração à parte e dura em média uma hora. A entrada da caverna, na contra-luz, forma uma vista belíssima. No final do trecho turístico você encontra uma cachoeira que vale o banho.

Caverna do Alambari de Baixo

Com uma entrada suntuosa, tem um rio interno e todo percurso é feito dentro d’água. Em alguns pontos da travessia é necessário a ajuda de cordas e a água pode chegar até o pescoço.

Caverna do Diabo

Fora do núcleo do PETAR, a caverna do Diabo fica a 40 km de Iporanga. Possui mais de 2 milhões de anos e 6.237 metros de extensão – sendo 600 metros aberto ao público. Aqui é possível observar de perto as formações rochosas conhecidas como estalagmites e estalactites.

Cachoeira do Meu Deus

Considerada umas das mais belas cachoeiras do estado, fica bem próxima a Caverna do Diabo. Para acessá-la é preciso encarar uma caminhada de dificuldade média, que passa por algumas piscinas naturais, além de três outras quedas menores até chegar a cortina de água de 53 metros. Atrás da queda, uma pequena gruta se torna mais um desafio para os mais aventureiros.

Cachoeira das Andorinhas

Fica no final da trilha do Rio Betari, com uma queda espetacular de 35 metros. Por questões de segurança, não é permitido entrar debaixo da queda, já que a pressão da água é muito forte.

Cachoeira do Sem Fim

São três lindas quedas com permissão de banho. Como estão inseridas em uma propriedade particular, é cobrado ingresso de R$ 5 por pessoa. As trilhas até as cachoeiras são curtas e de nível fácil.

A maioria das pessoas optam por se hospedar em Iporanga, devido a proximidade com os atrativos. A maioria das acomodações são simples, no Bairro da Serra, mas que atendem o público que busca o turismo de aventura.

Regras importantes para sua visita ao parque: 

  • é obrigatório estar com Monitor Ambiental Local em todas as cavernas e na grande maioria dos atrativos;
  • é obrigatório o uso de calça, camiseta com mangas normais e tênis (não podem blusinhas, camisetas regatas ou sandálias);
  • é obrigatório o uso de equipamentos de segurança como lanternas e capacetes nas visitas as cavernas;
  • leve seu próprio lanche para o parque, dentro do PETAR não possui estabelecimentos que vendem comida.

Fotos: Pamela Carvalho

Posts relacionados