A convite da Jeep, vivenciamos o maior test drive off road no Jalapão, Tocantins. Foram mais de 800 km de rally em terrenos desafiadores, entre paisagens estonteantes e desbravando todas as belezas naturais do cerrado a bordo de um 4×4

Muito procurado por amantes de ecoturismo e turismo de aventura, o Parque Estadual do Jalapão está localizado no estado do Tocantins, no extremo leste, onde faz divisa com Bahia, Maranhão e Piauí. A região é considerada um dos maiores blocos de vegetação nativa remanescente no Brasil e a maior concentração de atrativos turísticos estão nos municípios de Novo Acordo, Ponte Alta – porta de entrada do Parque – Mateiros e São Félix. Aliás, a partir de Ponte Alta o celular serve apenas como câmera fotográfica.

Se quiser garantir a visita sem preocupações, é fortemente recomendável o uso de carro com tração 4×4. Além das estradas esburacadas de terra, a temperatura é mais um grande desafio durante a expedição. Ainda no período da manhã, os termômetros podem chegar facilmente à 39°c. Por isso, uma das regras do Jalapão é se hidratar. E muito!

A mudança brusca de paisagens é outra característica que chama a atenção. A vegetação predominante é o cerrado, mas no decorrer do caminho é possível se deparar com alguns outros tipos. Por baixo da vegetação rasteira, o solo é constituído de areia, a mesma que forma as estradas de boa parte do Jalapão. A mistura de cores e vegetações é um espetáculo à parte. O destino, inegavelmente místico, é uma convite para se desconectar e viver uma imersão na natureza.

Algumas paradas “obrigatórias” no Parque:

Cachoeira da Velha

Na cidade de Mateiros, é a maior cachoeira do rio Novo, além de ser também sua maior atração. Indicada somente para contemplação, possui um enorme volume de água e duas quedas em formato de ferradura, um paredão com aproximadamente 100 metros de largura e 15 de altura. Existem muitas lendas ao redor de seu nome, muitos dizem ser pelo fato de uma mulher que morava nas proximidades e passava horas observando aquele espetáculo da natureza.

Prainha do Rio Novo

Bem próximo a Cachoeira da Velha, de águas potáveis e o mais turístico banco de areia do rio Novo, a Prainha do Rio Novo tem águas calmas, transparentes e areia fina. A formação de uma bela piscina natural é cercada por uma vegetação virgem, perfeita para relaxar e imergir na natureza. Deve-se atenção somente a alguns pontos em que a correnteza pode ser bem forte.

Fervedouro Bela Vista

Um dos mais conhecidos cartões-postais do destino, o Jalapão reúne alguns fervedouros, que são verdadeiros oásis em meio ao cerrado. Os fervedouros são nascentes de rios subterrâneos, que por conta da grande pressão da água impede que as pessoas afundem. Apenas oito deles estão abertos ao público, sendo um dos mais visitados, o Fervedouro Bela Vista, um grande poço redondo de água azul turquesa. A visitação do local é controlada, sendo permitido apenas 10 pessoas por vez e custa cerca de R$ 15.

Cachoeira do Formiga

A 36 km de Mateiros, uma linda nascente de águas verde-esmeralda, cercada por uma vegetação, faz da Cachoeira do Formiga parada obrigatória. A queda d’água é pequena, mas sem dúvidas, uma das mais belas da região. O cenário é de tirar o fôlego e a temperatura da água extremamente agradável, perfeita para aplacar as altas temperaturas. Como grande parte das atrações do Parque, está inserida em uma área particular, razão pela qual é cobrado o valor de R$ 20 para visitação.

Dunas Douradas

Esqueça qualquer semelhança com as famosas dunas do nordeste do país, onde há ofertas de passeios de buggy e outras atrações megaturísticas. As Dunas do Jalapão é um espaço para pura contemplação e, certamente, será um dos cenários mais exóticos que você visitará. A formação da Dunas, que chegam até 40 metros de altura, se dá pela ação do vento que causa a degradação das serras rochosas. Fato pelo qual elas estão em constante transformação. O pôr do sol visto do topo é um de seus principais atrativos.

Mumbuca

É uma pequena comunidade no Município de Mateiros, onde há uma associação de artesãos que trabalham com o capim dourado. A típica matéria-prima da região, de haste fina e brilho metálico, dá forma a cestas, bolsas, brincos, etc.

 

Melhor época para visitar:

É possível visitar o Jalapão o ano inteiro. Porém, muitos consideram o período de estiagem – entre os meses de maio e setembro – o melhor momento para aproveitar a estadia.

Fotos: Átila Ximenes (Blog Vou Contigo), Pamela Carvalho e Hugo Valente (Estilingue Filmes)

    Onde ficar no Jalapão

    Onde Ficar
    Maior parte das opções de hospedagem estão concentradas nas cidades de Mateiros e São Felix. Espere por acomodações em pousadas simples, mas que atendem perfeitamente a pernoite. Nossa parada foi na Pousada Santa Helena, em Mateiros.

    Posts relacionados