Londres passou por uma verdadeira transformação gastronômica nos últimos anos e deixou a (má) fama para trás. A capital inglesa está fervilhante: com filiais de restaurantes badalados e casas autorais. Nossa editora-chefe, Daniela Filomeno, voltou com uma hot list dos melhores restaurantes de Londres. A lista é tão extensa que dificilmente conseguirá aproveitar todas as boas opções em uma única viagem. Nada como um bom motivo para ter que revisitar, não?

Faz tempo que Londres deixou de ser a cidade do fish ‘n chips. Hoje, tem uma interessante gama de restaurantes, tanto que vai desejar voltar só para uma expedição gastronômica na terra da rainha. A variedade vai de italianos, que fará se sentir na Itália, asiáticos deliciosos a libaneses, cozinha que está na moda em Londres. Dos principais chefs, como Alain Ducasse, a badaladas casas pelo mundo, leia-se Zuma, estão por lá. De uma viagem gastronômica, compartilho a relação dos que fui e dos que já estão na lista para uma próxima vez.

Do italiano ao libanês

No italiano Lucio, em Chelsea, o ambiente é refinado e atendimento atencioso, feito pelo próprio Lucio e seu filho. Entre as pedidas, o amatricciana, com bochecha de porco, pimenta chilli, queijo peccorino (£ 15.50) e o tradicional tiramissu de sobremesa (£ 16.50), antes uma boa taça de vinho e seja feliz.

Mesa farta do Ishibila

Já o Ishbilia, pertinho da loja de departamentos Harrods, se orgulha de servir a autêntica cozinha libanesa e com ótimo custo-benefício. Do humus (£7.75) à maravilhosa Kafka (£18), tudo impecável. E em generosas porções para dividir.

Only Fish

Charmoso e superconceituado, o Scott’s é um tradicional restaurante de frutos do mar e peixes fresquíssimos. Fica pertinho do Hide Park, em uma rua cheia de lojas bacanas e diferentes- de antiquários a moda. Pegue uma das mesinhas da calçada e se delicie. Ah, é um dos poucos que não fecha para almoço e vai direto, raro em Londres.

Bar + Balada + Restaurante + DJ

Em Londres pipocam vários restaurantes com uma fórmula que se repete: locais que de dividem entre um bar, um restaurante e uma baladinha. Alguns chegam a ter dois restaurantes, sendo um estrelado e outro casual, como é o caso Sketch, em Mayfair, com um dos banheiros mais cool de Londres. Cápsulas em formatos de ovos ficam no topo de um bar com DJ, em formato de disco voador, o que atrai curiosos. Muito turístico, vale para um drinque no inusitado bar e seguir para o jantar.

Sketch London

Entre os mais badalados neste modelo, com comida deliciosa, é o imperdível chinês Park Chinois. Se não fosse pelos ótimos pratos, já vale pela diversão. No salão do térreo, um elegante restaurante todo decorado em vermelho e preto, com inspiração na chinoiserie francesa (interpretação da França para móveis chineses). Já no Club Chinois, subsolo, come-se em meio a dançarinos e performistas. Comece pelo delicioso drinque Rouge Intime (£15), que leva vodca aromatizada com ruibarbo, licor de toranja, suco de maça e gengibre (£ 15.00). A proposta é dividir, degustando vários pratos, enquanto curte as atrações. Peça de entrada os dumplings de king crab, caranguejo do Alasca (£ 9.50), seguidos do pato inteiro laqueado (£ 95, muito bem servido). Ainda vale o bacalhau fresco com toranja, capim cidreira e molho apimentado (£ 49). A banana flambada (£ 10.50) vem com sorvete de amendoim, brownie de chocolate e amendoins caramelizados. Delicioso.

Park Chinois

Em frente a Berkeley Square nota-se a movimentação de gente bonita e música alta, em um ambiente aberto com uma decoração bem ostensiva. Pudera, o restaurante do momento de Londres, Sexy Fish custou nada menos que £15 milhões e tem obras de arte de Damien Hirst e Frank Gehry. Seu menu tem ótimas criações de sushi e sashimi, como o carpaccio de polvo (£ 12.80) com coentro e molho de yuzu, uma pimenta japonesa. Dica: para quem não quiser gastar muito, o menu executivo de almoço custa £36 com aperitivo, duas entradas e prato principal.

Sexy Fish

Descolado, o Novikov tem um tailandês, que é delicioso, e um italiano. Para finalizar a noite uma baladinha no subsolo. Para ver e ser visto, visita obrigatória na cidade.

Estrelados

Primeiro restaurante de Londres a ganhar uma, duas e depois três estrelas pelo guia Michelin, o Le Gavroche é legendário, não só pela sua gastronomia, como também pelo seu serviço – tão fino que alguns acham até arrogante. Um dos mais celebrados restaurantes em todo o mundo, o Dinner by Helston do chef Helston Blumenthal, um dos precursores da gastronomia molecular. Ele faz releituras de pratos da culinária inglesa com muita criatividade. Aproveite para degustar a cozinha de um dos mais premiados chefs do mundo. O Alain Ducasse at The Dorchester traz sua cozinha francesa com toques autorais que conquistam amantes da gastronomia.

Dinner by Helston

O Fera at Claridge’s é um ótimo motivo para visitar o centenário hotel de Mayfair. Sua cozinha contemporânea se destaca pelos ingredientes frescos e apresentação impecável.

Internacionais

Sabia que o primeiro Zuma do mundo foi no sofisticado bairro de Knightsbridge, em Londres? Aproveite este motivo para ir em um dos mais gostosos asiáticos existentes. Não importa onde vá, o Zuma, assim como o Hakkasan (são dois endereços, MayFair e Hanway Place em Londres), conseguem imprimir sua qualidade em qualquer país. O restaurante japonês Nobu, igualmente impecável e delicioso em qualquer parte do mundo, tem três unidades na capital inglesa: Park Lane, Berkeley St e Shoreditch.

Batlhazar London

Cecconi’s, Batlhazar, Le Petit Maison Coya são outros exemplos de redes internacionais que não deixaram de marcar território por lá.

Só para ingleses?

A capital inglesa é cheia de clubes fechados com excepcionais restaurantes, bares e night clubs. O The Arts Club é considerado por muitos locais o melhor restaurante da cidade, onde ainda abriga um sushi e um bar, além de um animado happy hour e balada no seu subsolo. Foi uma refeição memorável, o peixe estava de comer rezando: bacalhau fresco marinado no mel de Acácia (£42). O cheesecake com frutas vermelhas incrível na mesma medida. Muitos destes clubs só permite a entrada de convidados dos sócios, alguns, o concierge do hotel, como um bom contato, consegue reservar.

Bacalhau do The Arts Club

O restaurante e clube privê Loulou’s London, no charmosos Mayfair, mais um fechado, mas aqui pode ir apenas com a indicação, sem a presença do sócio. A comida é ótima, com ares contemporâneos.

 

Posts relacionados