Como é uma refeição em um dos melhores restaurantes de sushi do Japão (ou do mundo)

“O melhor sushi do planeta”. Assim, com esta declaração bastante abrangente, um coreano enchia a boca para dizer que era a segunda vez que visitava o Sushi Sawada, um restaurante em Tóquio, no Japão. Ele ainda emendou: “aproveitem, pois têm a sorte de estar no melhor sushi do mundo. Exagero? Não sei, mas que foi o melhor lugar que já comi sushi, foi. Seja pela forma que foi servido (in natura, sem molhos na maioria das vezes e da forma que os japoneses entendem como correta) ou pelo corte ou pela qualidade do peixe.

Sawada porta

O terceiro andar de um mini prédio esconde um dos melhores restaurantes de sushi do Japão. À margem da fama do Jiro Sushi, consagrado em um documentário e frequentado por celebridades e autoridades, o Sushi Sawada parece não gostar de holofotes. Não são permitidas fotos e é muito difícil fazer reserva, especialmente  para estrangeiros (já que não falam uma palavra em inglês). Só com um bom concierge para se conseguir um dos seis disputados assentos, além de muita sorte. Conseguiu a reserva? Se prepara para a saga de encontrar o local. Com o querido amigo Google Maps parece que a nossa vida ficou mais fácil, mas não para quando se trata de um local tão escondido, que nem as pessoas em volta do local sabem aonde ele fica.

Sawada

Para fazer uma refeição aqui tem uma lista de exigências, sim exigências. Entre os pedidos, não usar perfume, definição de dress code e a proibição de celular e fotografia. Além disso, uma lista de boas maneiras, de como comer comer corretamente o sushi, como abocanhá-lo de uma vez, sem dividí-lo em porções. São apenas seis disputados lugares no balcão do chef Koji Sawada. São clientes que vão ao local em busca dos melhores ingredientes de cada estação de todo o Japão.

Sawada 2

Ele parece não se importar com as suas duas estrelas do guia Michelin: sua atenção é ao delicado manuseio e corte de cada peixe. E ela só é desviada quando ele apresenta, todo sorridente, o atum de 169 quilos que arrematou mais cedo no mercado de peixes. Após isso, ele volta à sua concentração. São servidas mais de duas horas de uma sequência de iguarias, diretamente no balcão de madeira.

andy-hayler-sushi-sawada

São servidas mais de duas horas de uma sequência de iguarias, como o sushi de uni (ouriço-do-mar) vindo das ilhas de Hokkaido. São de uma leveza e sabor impressionantes. Há, ainda, o exótico abalone, que nas mãos do chef tem seu sabor realçado e entende-se o motivo dele ser tão apreciado. Já o toro (barriga de atum) é selado na grelha e imperdível – seu sabor lembra o wagyu beef (carne japonesa).

toro sushi

Detalhe: apenas ele e sua esposa trabalham no local. Não poderia ser diferente, pois não caberiam mais pessoas no cubículo que o Sawada está localizado há 11 anos. A perfeição é retratada no preço, pois uma refeição custa 30.000 yenes, em torno de 270 dólares (ou aproximadamente acima de mil reais), no almoço. Mas, ao final, o frequentador terá a certeza que valeu cada centavo investido.

Foto: Daniela Filomeno Seripieri,  How tp Eat Sushi/Noriko Yamaguchi/Gnngo, Shutterstock reprodução AndyHaylers website

Posts relacionados