Há alguns anos o centro de São Paulo vem sofrendo importantes mudanças. Com uma parte já revitalizada, a região se tornou área cool da cidade, frequentada por pessoas de todas as tribos. Preparamos um roteiro com o que há de melhor – da nova e da tradicional – cena gastronômica do centro da cidade.

A Casa do Porco

Com uma decoração descolada, que lembra aqueles mercados deliciosos de Nova York, em uma rua no centro de São Paulo está a Casa do Porco, projeto dos chefs Jefferson Rueda (ex-Attimo) e Janaína Rueda (Bar Dona Onça). Uma mistura de bar, restaurante e mercadinho, tem janelas abertas para a rua do seu açougue e oferece itens para viagem, como o sanduíche de porco.

Criações não óbvias como o sushi de papada de porco ou releituras, como porcopoca (pururuca servida em um saquinho de pipoca com o logo da casa, que faz as vezes do couvert) e lamen, que leva um incrível ovo curado e nirá.

Rua Araújo, 124 – República (11.3258-2578)

Bar da Dona Onça

Embaixo do icônico prédio Copan, na Avenida Ipiranga, o Bar da Dona Onça, da chef Janaína Rueda (Sim! A mesma acima), conquistou a clientela com pratos tipicamente brasileiros. Apesar de ser chamado de bar, o lugar funciona mais como um restaurante. O extenso menu inclui opções para petiscar como o croc milanesa, a linguiça de porco artesanal com vinagrete e pão francês e a deliciosa rabada de panela de pressão, que desmancha na boca.

dona-onca

De prato principal, além do tradicional P.F, que você pode escolher entre peixe, carne, frango e omelete, todos acompanhados de arroz soltinho, feijão e couve refogada, a casa oferece opções como arroz de galinha caipira com quiabo e o stinco de leitoa caipira com feijão tropeiro e couve refogada. Para beber, a casa é famosa pelas caipirinhas feitas com cachaça da Laje e, a mais pedida é a caipirinha da onça, que leva tangerina e maracujá. Vale pedir pelos mini churros, servidos quentinhos, com doce de leite.

Avenida Ipiranga, 200 – Edifício Copan, Centro (11.3257-2016)

Ramona

Vizinho da biblioteca Mário de Andrade, na Av. São Luiz, o Ramona é um descolado e charmoso restaurante de pegada rock n’ roll, que predomina o som ambiente. A casa dispõe ainda, no piso térreo, um piano para quem quiser se arriscar. São algumas das opções de entradas, o aspargos frescos grelhados sob ovo caipira pochê e lascas de queijo pecorino e a batata doce rosa assada com alho e coentro fresco.

ramona

Aberto também para o almoço, oferece um delicioso menu executivo, todos os dias e com duas opções de pratos, como o rosbife de filé mignon, molho de mostarda à l’ancienne, legumes grelhados e purê de batatas. No à la carte se destaca o chancho ramônico (corte suíno) com batata assada recheada, berinjela japonesa grelhada e vinagrete de pimenta biquinho e coentro, além do hambúrguer da casa, feito com fraldinha, queijo da Serra da Canastra, maionese, salada e ovo caipira frito.

Avenida São Luís, 282 – República (11.3258-6385)

Esther Rooftop

Localizado no antigo apartamento do chef Olivier Anquier, uma cobertura na Praça da República, em um prédio tombado de 1930, abriga o Esther Rooftop. Com uma vista linda do Centro de São Paulo, lá tem um cardápio que convida a experimentar vários pratos. O edifício Esther foi um dos primeiros a serem construídos no centro de São Paulo, representa a verticalização da cidade e é um marco da arquitetura modernista, projeto de Vital Brazil e Adhemar Marinho.

esther-rooftop-wontons

No almoço, um farto menu executivo  (R$59) tem opções como a barriga de poco com purê cremoso de cenoura. Ou o fish and chips, receita inglesa com um molho delicioso.

Praça da República, 80 Centro – Tel: 11.3256-1009

Riconcito Peruano

Não se deixe levar pelo ambiente simples e atendimento mediano do restaurante do peruano Edgar Villar. O foco na casa é nos frutos do mar e  peixes fresquíssimos com temperos trazidos diretamente do Peru.

ceviche-riconcito-peruano-certo

A mistura de total simplicidade, com sabores e combinações mais complexos, é incrível. Peixes e frutos do mar crus, marinados no limão, na consistência certa e servidos em porções generosas a preços justos e ao modo tradicional peruano: com pimenta ají, cebola roxa, milho cozido e batatas doces.

R. Aurora, 451 – Santa Ifigênia (11.3361-2400)

Av. Vieira de Carvalho, 86 – Campos Elíseos (11.3221-5621)

Acrópoles

O mais tradicional restaurante grego da cidade foi inaugurado em 1959, em meio ao bairro do Bom Retiro. O ambiente simples, com algumas mesas e cadeiras de plástico na calçada, não faz jus às deliciosas especialidades servidas na casa.

acropoles

Pratos como ensopado de polvo, lula recheada, carneiro assado, vitela e torta de berinjela com carne moída, além da típica moussaká e do arroz com frutos do mar figuram em uma espécie de “vitrine’, onde você escolhe uma das opções e o cozinheiro se encarrega de fazer o seu prato. Antes disso, sem rodeios, peça pela entrada completa que vem um pouco de cada, coalhada seca com pepino, patê de berinjela, purê de grão de bico e de batatas com alho,  além do polvo ao vinagrete.

Rua da Graça, 364 – Bom Retiro (11.3223-4386)

Sujinho

Com dois endereços na capital – um na Av. Ipiranga e outro na Rua da Consolação – o braseiro ficou conhecido pela sua bisteca grelhada. O menu é um mix de petiscos de bar e grelhados de churrascaria. Para começar, não impeça de deixarem na mesa as clássicas entradas da casa: repolho curtido no azeite, cebola marinada e a muçarela de búfala.

sujinho

Se o caso for apenas petiscar, a porção de coração de frango vem caprichada, temperada na medida e no ponto certo.Para acompanhar, peça um cerveja de garrafa bem gelada ou um dos drinques da casa. A rede ainda possui uma hamburgueria, onde o diferencial é a preparação da carne na brasa, deixando o hambúrguer com um gostinho de churrasco. Dica importante: as casas NÃO aceitam nenhum tipo de cartão.

Avenida Ipiranga, 1058 – (11.3229-9986)

Tasca do Arouche

Como sugere o nome, o restaurante fica localizado no Largo do Arouche e dá lugar ao antigo Antiquarius. A casa, que serve comida portuguesa, tem um couvert generoso que vale como uma entrada, com pães, queijo fresco, croquete de carne, bolinho de bacalhau e rissole de camarão. Para começar, a frigideira de polvo grelhado e a alheira são boas pedidas.

tasca-do-arouche

Entre os principais – e para não errar – opte por algum dos variados pratos feitos a base de Bacalhau, assinados pelo chef Paulo Franco, como o Bacalhau da Tasca, que leva posta do peixe assado no forno, cebolas caramelizadas no azeite, brócolis, mini batatas ao murro, ovo cozido, tomate semi confitado e alho frito ou o Bacalhau a Gomes de Sá, que serve duas pessoas. Vale também experimentar o arroz de polvo à moda da Tasca, feito com arroz português Carolino. Uma boa carta de vinhos portugueses completam o cardápio. Durante a semana, no almoço, oferece um menu executivo, com preço fixo, que inclui entrada, prato principal e sobremesa.

Largo do Arouche, 212 – República (11.3224-1421/ 3223-3715)

Bar Léo

Inaugurado em 1940, o Bar Léo se tornou um dos mais tradicionais de São Paulo. O estabelecimento ganhou fama por servir um dos melhores chopes da capital.  Para garantir o sabor e a cremosidade do colarinho, os copos passam por uma lavagem especial e os barris são refrigerados em câmara fria, longe do sol e do calor. Lançou recentemente um carrinho de caipirinhas, criações do barman Sérgio Silva e preparadas na mesa pelo próprio. Dentre elas, a chacrinha, que leva cachaça, rapadura, abacaxi e limão siciliano e a Gorbachev, com vodka, maracujá, limão e melaço de açúcar. Vale investir nos canapés como o Hackepeter (carne crua) e Rococó – pasta de queijo gorgonzola e copa.

bar-leo

Outras sugestões são os Pastéis de camarão com espinafre e queijo cremoso e o famoso bolinho de carne temperado à moda da casa. No menu é possível encontrar algumas opções de pratos, o eisbein (joelho de porco) — este, servido somente às quartas e aos sábados, que compõe uma bela refeição na companhia de arroz, feijão branco e chucrute, já de quinta a sábado, a galinhada do Léo é servida à moda caipira, acompanhada de banana da terra, quiabo, xerém e arroz branco. O salão clássico, que evidencia sua ascendência alemã, é decorado com canecas doadas pelos próprios fregueses, quadros e lembranças, proporcionando uma verdadeira viagem no tempo.

Rua Aurora, 100  – Santa Efigênia (11.3224-1250)

Terraço Itália

Com sua incrível vista panorâmica para a cidade, o lendário Terraço Itália é restaurante obrigatório para todos os amantes da boa gastronomia e de São Paulo. Seu cardápio foi reformulado há pouco tempo e ganhou deliciosos pratos como a burrata e o tartar de salmão com aneto fresco de entrada.

burrata-terraco-italia1

Além das incríveis massas, o menu tem muitas opções de frutos do mar, sempre frescos e elaborados com primor,  como é o caso da lagosta grelhada com molho de laranja e risoto de alho poró ou o camarão ao prosecco servido com risoto de açafrão. Aos sábados serve uma gostosa feijoada. 

Avenida Ipiranga, 344 – República (11.2189-2929)

La Casserole

Há mais de 60 anos, o aconchegante bistrô no Largo do Arouche recorre a mudanças discretas, mas significativas, para manter sua posição entre os mais queridos restaurantes da cidade. O cardápio é famoso por clássicos da cozinha francesa e também conta com pratos de inspiração contemporânea. A casa renovou recentemente seu menu e incluiu cinco novos pratos, sem perder o toque clássico da gastronomia francesa.

lacasserole

Dentre eles, destaca-se as moules-frites, ícone da culinária de bistrôs na França – uma combinação de mexilhões, em molho feito no caldo do próprio marisco, servidos com batata frita; o tradicional entrecôte angus, corte de carne bovina nobre típica do país, chega à mesa com palmito pupunha tostado, cogumelos salteados e manteiga maître d’hotel, a base de especiarias e um toque de limão, além do  polvo acompanhado de mousseline de grão-de-bico. Possui uma boa carta de vinhos e de terça a sexta oferece um meu executivo de três tempos.

Largo do Arouche, 346 (11.3331-6283/ 3221-2899)

Fotos: Divulgação

Novidades 2017: onde comer no centro de São Paulo

Endereços imperdíveis para comer no centro de São Paulo

O que visitar no Centro de São Paulo:

5 regiões históricas para conhecer em São Paulo

Posts relacionados