Localizada em frente ao Campo das Cebolas e pertinho do cais (próximo à avenida beira-mar), em Lisboa, a cantina é um lugar aconchegante para apreciar a comida inspirada nas refeições tradicionais portuguesas. Você pode comer tanto nos salões de dentro quanto sob os guardas-sóis, na praça. Descubra o cardápio!

Lisboa, Portugal – As origens portuguesas são resgatadas no novo restaurante do estrelado chef José Avillez (que tem outras 14 casas gastronômicas espalhadas por Portugal), apesar da decoração azul e amarela, inspirada nos azulejos portugueses e nos bondes, com um quê contemporâneo. A cantina Zé Avillez mostra que a comida caseira tem sempre um lugar nos corações na hora de escolher o que se vai comer. Por isso, muitas receitas tradicionais são colocadas no cardápio, como arroz com feijão (preto), dobradinha, linguiças e típicos cozidos (aos finais de semana, €25 por pessoa, em torno de R$ 100).

O couvert já começa sensacional: pães e azeite, azeitonas frescas (Foto: Acervo Pessoal)

Os peixes e frutos do mar são os destaques da carta, mais da metade das opções. O bacalhau é sempre indispensável, mas longe do que se conhece no Brasil: eles optam por outras receitas, como as pataniscas (uma espécie de bolinho frito), servido com arroz e feijão, além de alho e lima ( 14, cerca de R$ 60). Mas há opções de porco, como as iscas finas, servidas com batatas fritas e cebolas (€ 12, cerca de R$ 50), e cachaço, com migas soltas de couve chinesa e feijão preto (€ 14,50, próximo a R$ 62).

 

Na entrada, claro que tem de pedir os pastéis (não se assuste, não é aquela massa de feira, mas aquilo que os brasileiros conhecem por bolinho), servido com duas unidades, custam €2,50 (aproximadamente R$10). Como prato principal arriscamos algo não tão tradicional: polvo à bacalhoeiro (grelos, como eles chamam os brotos de plantas, alho e pimentão defumados, por € 17 (algo em torno de R$ 72). Ainda bem que, para sobremesa, há sempre um espaço reservado além do salgado, pois os pratos e entradas são bem-servidos e, se você ainda pedir o couvert, já viu…

Entre as sobremesas, abre-se um sorrido para o toucinho-do-céu (€4,00, próximo de R$19) e, também, para a avelã ao cubo (€4,50, perto dos R$ 20), do cantinho do Avillez (outro de seus restaurantes). Aqui, a receita inclui um gelado, uma espuma, a semente ralada na hora e flor de sal. Tudo vem dentro de um copo, em camadas, para mergulhar a colher e experimentá-las de uma só vez. Veja mais opções no cardápio (ao pé do texto).

O ambiente tem dois salões amplos e um terraço sob os guardas-sóis no Campo das Cebolas. Com cadeirinhas estampadas com azulejos portugueses, o lugar tem mesas redondas para compartilhar e outras, de dois ou quatro lugares, que podem ir aumentando. O balcão também pode servir para uma rápida refeição ou um drink para o aperitivo (como eles chamam a happy hour). Em resumo, o lugar é legal, charmoso, bem iluminado, abriu há pouquíssimo tempo, mas já atrai mais turistas do que os outros restaurantes. É possível fazer uma rápida refeição ou pedir para descer o menu (nosso caso) e passar um pouco mais de tempo. Uma dica: chegue cedo, pois o restaurante não aceita reservas no almoço!


SERVIÇO
Aberto todos os dias, do meio-dia à meia-noite, tanto para o almoço quanto para o jantar. 
R. Arameiros 15, Lisboa, Portugal / Tel.: +351 21 580 7625


O repórter viajou a convite do Taste Portugal, um organismo da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) de Portugal, em parceria com a Rede de Restaurantes Portugueses pelo Mundo (RRPM). / Foto de abre: Reprodução/Site oficial.

Posts relacionados