Na entrada do restaurante, salão remete a algo familiar. Sim, é o irmão mais novo do tradicional Cantaloup. Muito mais do que isso, conceito do restaurateur Daniel Sagahoff entrega frescor nos pratos e acerta em frutos do mar como carro-chefe.

Grande salão (Foto: Divulgação)

Ao passar pela porta escondida na rua Doutor Mauro Ferraz, no Itaim Bibi, aquela sensação de déjà-vu. Mas só porque, de cara, uma queda d’água te faz lembrar o tradicional Cantaloup – com 20 anos em São Paulo. Mas é só isso mesmo.

O menu agrada diferentes paladares. Borbulha de referências mediterrâneas e asiáticas, além de um frescor sem igual – que começa pelas 18 entradinhas na crista da moda, como o poke de atum (R$ 35) ou o ceviche de robalo e camarão rosa com leche de tigre de caju (R$ 39). Aos tradicionais, salada caprese (R$ 27) ou gaspacho com legumes (R$ 21).

Quem topar o descontrole, croquetas de jamón, funghi ou galinha caipira (R$ 24) ou camarões confitados com perfume cítrico (R$ 58) são escolhas para não errar. O canoli de avocado com salmão ao perfume de trufas é mais bonito do que saboroso (R$ 28), mas as grandes surpresas estão mesmo no ovo perfeito com espuma de feijão preto, farofa de bacon e couve (R$ 21).

Fideuá tem massa cozida em calda de camarão com frutos do mar grelhados (Foto: Acervo pessoal)

Entre os principais, o saboroso fideuá de frutos do mar (R$ 98) e o habitual bacalhau confit, purê de gemas com creme de pimentão vermelho, tapenade de azeitonas e brócolis (R$ 89). Outro destaque é o arroz de pato à portuguesa (R$ 68). Para ter uma ideia maior da dimensão desse cardápio com 10 escolhas, o menu degustação, em quatro etapas, custa R$ 120 (o de criança custa R$ 38).

Atum picante e robalo com pêra

O Raw Bar, que fica entre um salão e outro, pode ser apenas para espera ou uma experiência pela vasta carta de drinques. Menu sob mando de Tadashi Shirashi (ex-UN, com passagem pelo Nobu da Grécia e da Suíça), os highlights são as ostras frescas, salsa de pepino, gengibre e sishô (R$ 26), o tartar de vieiras, spicy miso e ovas de capelim (R$39), o atum picante com alga crocante e gergelim tostado (R$ 28) e o robalo, pêra asiática e trufa negra (R$ 29).

As deliciosas e minimalistas sobremesas do confeiteiro Arnor Porto são um capítulo à parte da experiência. São pratos de memória afetiva, com um toque de obra de arte. Dá dó desmoronar, a cada garfada, a belíssima apresentação da cheesecake de queijo de cabra com goiabada confir e tuille de pistache ou a esfera de tiramisù, e também o trio de caseirinhos, com cocada, manjar e brigadeiro com morango.

No dia da nossa visita, a entrada era esse sanduíche de carpaccio; sim, é a entrada!

Executivo
No almoço executivo, dá para ter um apanhado geral do cardápio. Cada dia, há um prato diferente com direito a entrada: strogonoff de filet mignon (R$ 48) às segundas, carne seca acebolada com arroz, ovo perfeito com farofa e crispy de couve (R$ 48) às terças, picadinho à moda nas quartas, saltimbocca alla romana de filet mignon com fettuccine na manteiga (R$ 52) às quintas e bacalhoada com batata, cebola, brócolis, pimentões e ovos cozidos às sextas (R$ 68).

Atendimento
O time que serve está sempre a postos. Quando cai um guardanapo, por exemplo, logo vem um garçom para substituir. Claro que esse tipo de alerta pode variar, mas impressiona.


O lugar

O projeto do arquiteto Otavio De Sanctis está dividido em três salões elegantes e modernos. A decoração traduz a inspiração do menu, cheio de referências: de contemporâneo à asiática, passando pela culinária europeia (espanhola e portuguesa). Um lounge, com destaque para a iluminação natural, cercada de jardins verticais, dá as boas-vindas ao visitante. Antes de chegar ao segundo salão, o raw bar impressiona. Ali, pode-se pedir um aperitivo da coquetelaria da casa ou escolher um acompanhamento para a refeição, com adega à mostra. Cervejas artesanais também fazem parte da experiência.

Na parte de trás, o mesmo aconchego da ante-sala, com um pé direito altíssimo, cercado de mais mudas de plantas: são 780 vasinhos com amostras da flora brasileira. Em todo o salão, destaque para móveis confortáveis e muitos deles assinados, como as cadeiras do Estudio Bola e Nada Se Leva, lounge com móveis da Prototype, Vitra e Neobox e banco com série limitada do Ronald Sasson. As luminárias são da Puntoluce, Loja Teo e Bertolucci. Um quarto espaço fica no segundo andar, mas é voltado a eventos.

 


SERVIÇO – LOUP
R. Doutor Mário Ferraz, 528 – Jardim Paulistano / Tels.: (11) 3078-0484 ou 3087-1089.
De seg. a qui., das 12h às 15h e das 19h à meia-noite; sex. das 12h às 16h e das 19h à 1h, e dom. das 12h às 17h30 e das 19h à 1h; sáb. segue das 12h à 1h, direto.

Posts relacionados