Com inspiração suíça, o centro comercial de Pucón (um vilarejo na região de Araucanía, distante 780 km de Santiago), no Chile, remete de bate-pronto a Campos do Jordão, no interior de São Paulo. Mas a cidade tem muito mais a oferecer que o pequeno vilarejo. Em meio a jardins, cachoeiras e bosques, uma das paisagens vai te encantar.

Você pode se perguntar: o que te levaria a essa cidade vulcânica (com o de maior atividade da América do Sul, chamado Villarica)? Mas a dúvida pode ser respondida tranquilamente: você busca sossego ou aventura? A cidade é a soma dos dois. Nos últimos anos, os brasileiros perderam mercado para os americanos, que hoje são os maiores consumidores ao lado dos próprios chilenos. Brasil aparece em terceiro.

Enquanto durante o dia você pode se embrenhar por trilhas, observar aves e se reencontrar com a natureza, por outro lado, você pode fazer turismo de aventura, como descer corredeira abaixo, praticando rafting. E ainda: ficar em um hotel à beira do lago, curtindo a paisagem e, ali mesmo, caminhar por trilhas, cultivar uma horta (que vai servir de refeição) e até tomar banho de cachoeira ou no lago.

Trekking, caminho para o vulcão
Café da manhã reforçado, lanche na mochila com bastante água e muitas passadas. Assim vai ser o dia dos que subirem a montanha rumo ao mirante, no Parque Nacional Villarrica, que dá vista para o vulcão de mesmo nome, cuja última erupção foi em março de 2015. A caminhada é mais importante do que, de fato, a chegada ao cume. Nela, você passa por uma floresta com representantes da flora e da fauna (destaque para o pica-pau-de-topete-vermelho). Durante seis horas, mais ou menos, conversa, paradas para observação da ave (que nem sempre dá as caras) e muita energia. Haja fôlego!

Contato: Fernando Tegú, especialista em observação de aves endêmicas.

Para aventureiros iniciantes e experientes
Quem gosta dos esportes de aventura, o entorno da cidade oferece opções. Desde uma tirolesa de 25m de altura (com 140m de extensão), que vai aos 40km/h para os mais corajosos, a um rafting com corredeiras para principiantes até os mais experientes, além de passeios de caiaques e duckys (caiaques infláveis para até duas pessoas). Ainda há passeios de buggy, navegação em veleiro clássico, pesca esportiva, visitas à termas e interação com a cultura local. Ufa, já dá pra viver como um típico local.

Racho onde são feitos os esportes aquáticos durante a temporada de Verão, que vai de dezembro a fevereiro

Pucón Aventura (puconaventura.cl) – Tel.: +56 45 244 1387

Serbando Castillo Morales, artesão

Conhecer as flores de madeira
Uma arte desenvolvida por um senhorzinho, há 50 anos, é hoje sinônimo de patrimônio cultural para a cidade de Pucón. Até mesmo o olhar mais clínico confunde: as flores são reais? Mas não… As flores de madeira foram criadas por Serbando Castillo Morales, um artesão, que até hoje mantém – próximo à entrada do município – seu “viveiro”. Ali, são confeccionadas as flores, de várias espécies, cuja técnica se assemelha ao apontar de um lápis. Tocos de madeira são “apontados” e desse maravalho surgem rosas, cravos, girassóis e outros tipos. A técnica de pintura é ainda mais interessante: ele leva à boca uma espécie de splash de bolha de sabão, cujo recipiente acumula a tinta. Então, ele precisa assoprar para que a tinta molhe as flores.

Rua Caupolican 555 – B Pucón / Tel.: +56 (45) 82156750 / facebook.com/floresdemaderapucon/

Península e centro comercial
Com um breve passeio de carro já dá para perceber a imensidão do Lago Villarrica, que circula Pucón – repare também na vegetação verdinha e o pôr do sol maravilhoso. A grandiosidade impressiona e águas parecem banhar pequenas praias. Chama a atenção a areia escura, principalmente para os brasileiros que estão acostumados com grãos mais claros. No centro da cidade, um must-go é a La Suiza, uma cafeteria e doceria, com ares bem tradicionais. Tem desde bolos e doces típicos, como a tradicional cuca, a sorvetes com frutas, como lúcuma e chirimoya-alegre (uma fruta do conde mais amarelada).

Vista do lago da península; repare na areia escura, à direita
  • Tem mais: Além da nossa escolha, a lendária Rony Pollak, uma das donas do hotel Antumalal, selecionou outros quatro lugares must-go pela cidade para comer. Restaurantes: La Maga (carnes), Trawen (menu internacional, com ingredientes orgânicos); El Castillo Campo Base (menu internacional com uma vista incrível para o vulcão) e Mamas y Tapas Bar (bar mais antigo de Pucón, ótimo para drinques e petiscos depois das atividades).
La Suiza – Avenida Bernardo O’Higgins 116, Tel.: +56 (45) 244 1241

Hotel Antumalal tem prainha, cachoeira e spa
A descrição do hotel Antumalal, segundo um hóspede, é “lugar onde amigos se encontram”. E pode ser essa a essência mesmo de lá. Se atividades ao ar livre não forem sua praia, o hotel Antumalal pode servir de retiro para se reencontrar. Lá tem spa, restaurante, “praia” privativa e até cachoeira, além de um mirante para se desconectar e ficar hipnotizado pela vista do lago Villarrica. O Spa Antumaco (que significa “lugar de sol e água”), por exemplo, oferece tratamentos de relaxamento, com piscina aquecida talhada em rocha natural (dividida entre coberta e ao ar livre), hidromassagem, jacuzzi, salas de massagens e sauna.

Camino Pucón a Villarrica Km.2, Pucón, Novena Región de La Araucanía / Tel.: +56 (45) 244 1011

Pôr do sol: vista do hotel Antumalal, em Pucón

Posts relacionados