Quioto é uma das mais encantadoras cidades japonesas, com seu charme próprio, arquitetura típica, monumentos e história milenar. Para entender o Japão, é preciso vir aqui.

Antiga capital imperial do Japão, Quioto (ou Kyoto) encanta. Em seu centro antigo parece que o tempo não passou, um contraste com a cosmopolita e fervilhante Tóquio. Sua população de 1,5 milhão de pessoas é bem distribuída em uma cidade plana e ampla. Quioto foi capital do Japão do século VIII até XVII, onde a família imperial morava. A população tem muito orgulho de fazer parte da história do Japão, com seus mais de 2 mil templos. Para ter uma ideia, é a mesma quantidade de Tóquio.

Gion Quioto

Cidade plana, Quioto não tem arranha-céus, ao contrário de Tóquio. Os prédios têm limite de altura e tem muitas casas tradicionais, o que dá um ar nostálgico e tradicional à cidade. Um charme à parte.

centro quioto

São 7,5 mil templos budistas em todo o Japão, cada um com uma motivação. O budismo japonês prega que cada um que se sente satisfeito, feliz e agradecido por esta vivo já está praticando o budismo japonês. Mais que um programa turístico, é preciso respeitar a cultura e tradição uma vez nestes lugares que são considerados sagrados pelos locais.

Buda temple

Um dos programas principais de Quioto não seria diferente: visitar alguns dos mais lindos templos do Japão. Os principais são o Palácio Dourado (Kinkaju-ji), Kiyomizu-dera, Santuário Fushimi Inari e Castelo de Nijo. Muitos outros merecem a vista (listo no final), mas estes quatro são absolutamente imperdíveis.

Kyomizy Kyoto

Castelo de Nijo

Na entrada do Castelo um portal em estilo chinês com detalhes folheados a ouro. Nijo é conhecido pelos seus ornamentos e pelo seu piso de madeira, que foi construído para que faça um suave ruído ao pisar, imitando o som dos pássaros (e avisando possíveis intrusos). Construído pelo xogum Tokugawa, tem diversos salões de recepção. Em um deles, Ohiroma Ichi-no-ma, possui bonecos representando os senhores feudais (daimyo) prestando homenagem ao xogum.

Nijo Castle

Kinkaju-ji, o Palácio Dourado

Cartão postal de Kyoto, o Kinkaju-ji também é conhecido como Palácio dourado. É todo folheado a ouro de 24 quilates, datado de século XIV. Foi casa de veraneio de um shogun, general mestre dos samurais, localizado em um lugar afastado do centro da cidade pela sua abundante natureza, usada para meditação. Tem diversos estilos arquitetônicos, no térreo é samurai, no segundo andar é o estilo nobre e o terceiro zen. Em seu topo, fica a imagem de fênix, pássaro eterno. Diversos pinheiros espalhados pelos jardim, que significa longevidade e prosperidade, isto porque no inverno inteiro tem folhas verdes.

Kinkakuji (Golden Pavilion)

Fushimi Inari

Já o Santuário Fushimi Inari, do séc. VII, é o mais importante santuário dedicado a Inari, divindade do arroz e do saquê (a região que fica localizado é produtora da bebida). É o mais visitado santuário de Quioto, no Japão. Fica aqui a mais famosa imagem da cidade, onde todos percorrem as centenas de  Torii (portais) vermelhos, onde que parar para fazer uma foto é obrigatório. Os Torii do santuário Fushimi Inari foram doados por fiéis em busca de prosperidade. Este templo é considerado o templo do comércio, por isso os arcos em busca de mais lucros.

FushimaInari Torii

Kyiomizo-dera

São diversos santuários dentro de Kyiomizo-dera. Fundado em 798, suas construções atuais foram construídas em 1633, é dedicado a água limpa.. Patrimônio Nacional da UNESCO, não possui um único prego em suas construções.

templo quioto

Dentro do Templo de Kiyomizu-dera, templo da água limpa, fica o Santuário Jishu, dedicado a um deus do Amor. Lá estão localizadas duas “pedras do amor” frente a frente, a 6 metros. Dizem que quem ande de uma a outra de olhos fechados (pode ser ajudado), encontraria o amor da vida ou amor verdadeiro.

Kyomizu Quioto

Neste templo é possível fazer uma visita especial, ser recebido por um monge mestre e ter acesso a áreas fechadas ao público. A visita é iniciada com a cerimônia do chá em uma sala em que Dalai Lama já foi recebido. A sala de meditação, dedicada ao Buda, é incrível. São quase 5 mil placas com imagens de Buda, cravadas em uma parede de aproximadamente de 30 metros de altura. A passarela fica no andar do meio, é possibilita observar os pés do Buda no chão. A sensação de paz é impressionante. Como não pode fazer fotos, fica para imaginação ou para quem conseguir visitar um dia.

kyoto templo

Quioto antiga

Agora o que fazer além dos templos? No centro, a rua principal é cheia de lojas típicas, inclusive uma da SanRio, para quem ainda quer mais alguma lembrança da Hello Kit. Observe também as diversas construções históricas.

Quioto Gion

Quioto é uma das mais conservadas cidades japonesas, quando falamos de casas tradicionais. Visite o templo budista de Yasaka que fica em frente Shijo, principal rua de Kyoto, onde ficam diversas lojas típicas, de souvenirs e comidas.

Gion Quioto

Gion

A cidade das Geikos, não fale gueixas que ficarão ofendidas, o termo é pejorativo, tem um bairro inteiro dedicado: Gion. Afinal, foi em Gion que serviu de locação para o filme Memórias de uma Gueixa. Aqui  usa-se Gueiko (20 anos para cima) ou Maiko (as novatas, que começam aos 15 anos).

Gion Kyoto

Em dois a três anos se formam em música, canto, dança e entreter. Em Gion, tem inúmeras casas de apresentação. Nas mais tradicionais é impossível entrar, se não for cliente há anos. Dizem que durante a filmagem de Memórias de uma Gueixa, Tom Cruise ofereceu muito, mas muito dinheiro, para assistir uma apresentação na casa mais tradicional e não foi aceito. Tradição é tradição, não?

Geiko Gueisha

Além de Gion, também é possível sentir na pele – literalmente – como é ser uma Geiko. Casas tradicionais oferecem a caracterização completa, com roupa tradicional e maquiagem. Os homens se vestem de samurais. Posso falar? Foi divertidíssimo.

gueisha em Quioto

Cerimônia do Chá

Não tem programa mais tradicional que acompanhar uma verdadeira cerimônia do chá em um dos templos. Com antecedência é possível ser recebida por monges e entender um pouco desta milenar tradição.

cerimonia do cha Quioto

A área verde para fazer a passagem (relaxamento) para a cerimônia do chá no Templo Budista Kourin é impressionante. Com plantas e musgo de um verde intenso, em um jardim japonês, ao passar dá uma sensação de harmonia e paz.

cerimonia do cha

Rio Kamo

Quioto é uma cidade charmosa e merece ser explorada. A orla do rio Kamo é cheia de bares e restaurante, além de ciclovia e pista de caminhada. Andar na pista que ladeia o rio é imperdível. Veja os diversos charmosos restaurantes em casas históricas (reconstruídas após os bombardeiros americanos), que se concentram na altura da rua Kawabata dori.

Rio Kamo Quioto

Higashiyama

Região produtora de chá verde, o Ban Cha, Quioto tem entre seus sabores o sorvete de chá verde. Ao pé do templo Kiyomizu tem o melhor da cidade, em uma loja com diversos produtos, inclusive variedades do próprio chá verde. Vale experimentar.

BanCha icecream

Nesta região, que foi poupada dos incêndios que devastaram Quioto, vale caminhar pelas ruas de pedra, visitar o Santuário Yasaka e, na época da florada das cerejeiras, ir até o parque Maryama, lugar ideal para assistir este espetáculo da natureza.

Higashiyama

Onde ficar?

Com apenas cinco anos, o Ritz-Carlton Kyoto tem decoração refinada e traz elementos orientais de forma harmônica e elegante.

Aproveite e durma como um japonês em um Riokan, um a dois dias é mais que recomendado.

Kyomizu QuiotoFotos: Daniela Filomeno 

 

Posts relacionados