Reformado em 2016, hotel fica no coração histórico da capital espanhola, perto dos pontos históricos, como o Teatro Real, a famosa praça Porta do Sol, a Catedral de Santa Maria a Real de Almudena e o Palácio Real de Madrid. Também abriga o restaurante Dos Cielos Madrid (original de Barcelona), dos estrelados chefs Hermanos Torres (de Barcelona).

Madrid, Espanha – Refúgio e conforto são palavras que caem bem a um resort urbano, com piscina, academia e sala de spa. Fragmento de arte também pode ser um sinônimo ao denominar os quartos do hotel Palacio de Los Duques, da rede Meliá, na capital madrilenha. De longe, o imponente prédio no coração da cidade chama a atenção. Do ponto mais alto dele, a certeza: uma das vistas mais privilegiadas, no epicentro, bem perto de tudo.

Logo que você entra no hall, um fragmento de “Las Meninas”, pintura de Diego Velázquez (1599 – 1560) recepciona o hóspede. No fim dele, há uma sala privada Red Level Lounge, onde hóspedes premium do hotel podem tomar café, assistir TV e atualizar-se do mundo, com edições diárias dos principais jornais globais. Tudo, na maior privacidade. Ao cruzar um segundo lounge com iluminação natural e o restaurante (onde é servido o café da manhã), chegamos ao jardim – espaço que a propriedade adora se gabar: mais de 1000 m².

Do lado de fora, ainda é possível tomar café com vista para um enorme pátio com fonte d’água e muito verde. Dá para passar horas e, se possível, pedir um estômago extra para conseguir comer todas as delícias oferecidas no café da manhã. Há uma ala dedicada às frutas da estação (como laranja, toranja, abacaxi, kiwi, melão e melancia), juntamente com finger foods, tipo pimentões, pepino e health snacks. Outra parte ficam os grãos e sementes, bolachas, iogurtes e grãos.

Com pães dos mais diversos tipos e fresquinhos, o buffet ainda tem uma parte com lanches prontos, como buns (aquele pão oriental), croissants, waffles e ciabatta. Por fim, os mais diferentes tipos de queijos, embutidos e defumados. No mesmo espaço, há doces e geleias. Além do que está exposto, é possível pedir pratos à la carte, como ovos beneditinos ou infusões e chás, além de sobremesas – como os churros com doce de leite.

Se você busca estar perto de tudo e caminhar pelos pontos turísticos da cidade, o Meliá é o lugar perfeito. A vizinhança tranquila, com casinhas coloridas e alguns pontos turísticos, como o Teatro Real e o Mercado San Miguel (guardadas as devidas proporções, pode ser o equivalente a uma versão mini do Mercado Municipal de São Paulo). Ali, é possível encontrar de tudo um pouco, das tradicionais tapas, baguetes, vinhos, queijos e presunto cru e sobremesas locais. Ah, claro… e muitos frutos do mar.

No andar térreo, há um lounge de descanso, o wine bar, um restaurante franco-espanhol com pegada Art Nouveau, chamado Montmartre (igual ao bairro parisiense, uma ode à França e à Espanha), um outro chamado Coroa Royal Gallery & Garden (onde é servido o café da manhã e a cozinha tem inspirações mediterrâneas), e o restaurante Dos Cielos, dos gêmeos estrelados Sérgio e Javier Torres, com apenas um ano. Ainda no hotel, é possível tirar uma tarde para relaxar, em um spa com aspirações tailandesas e, se você abusou no café da manhã, é só correr para a sala de ginástica, com equipamentos aeróbicos e de musculação ultra-modernos .

Com vista 360º da cidade, a piscina localizada no ponto mais alto do edifício é um espetáculo à parte nesse imenso céu. De um lado, uma pequena jacuzzi dá vista para o Palácio Real – comporta até seis pessoas. Do outro, a piscina azulzinha, sobressai do chão. De um lado dela, é possível ver o movimento debaixo d’água por ter uma parede de vidro. No entorno, espreguiçadeiras e áreas de descanso para ficar com amigos ou família, pedir petiscos e um bom vinho para secar ao sol.

Os 180 quartos (40 na Red Area, um hotel boutique com mais privacidade) – com amenities Clarins – são uma homenagem ao artista Velasquez, e todos eles têm fragmentos de suas pinturas. O quarto em que o V&G aportou tinha banheira, e os detalhes da decoração puxavam para o cinza, amarelo e dourado. Ah, e com vista para a rua com acesso à Gran Via (principal ponto de comércio da cidade. Pense em uma loja! Com certeza você vai encontrar lá!). Reaberto em 2016, o Gran Meliá Palacio de los Duques é um hotel cinco estrelas membro do clube exclusivo Leading Hotels of the World.

História
Pavimentos em carvalho e móveis italianos (desenhados por Molteni) criam um espaço de luxo funcional com uma arquitetura esplendorosa. Nos corredores e escadas, as linhas douradas te fazem lembrar que você não está hospedado em um lugar qualquer, mas um palácio neo-Renascentista. Gran Meliá Palacio de los Duques é dedicado ao renomado artista espanhol Velázquez, que viveu em Madrid como pintor da corte nos tempos de Philip III e Philip IV. No centro da cidade, o hotel é a combinação de dois prédios históricos: um do século XIII e outro do século XIX dão cara ao palácio com fachada elizabetana. No passado, foi casa dos Duques de Granada de Ega e Villahermosa, colecionadores de arte, bem como membros da sociedade madrilenha no meio do século XIX.

Dos Cielos
Ali fora, colado ao jardim, funciona uma filial do restaurante dos irmãos Torres, com o chef Damián González no comando da cozinha. Ele iguala os sabores e texturas que garantiram ao restaurante sua estrela Michelin em Barcelona – e que agora, com um ano de vida, busca a sua própria. A experiência sensorial – com o resgate de memórias – como os chefs costumam dizer, começa na entrada, com muita iluminação natural entrando pelas janelas. O restaurante tem um ar rústico e moderno ao mesmo tempo, pois no passado foi um estábulo e o chão de vidro te permite observar a construção original.

As mesas pretas e beges têm poltronas, cadeiras e sofás confortáveis e paredes de tijolinho. Dentro do restaurante, comportam 50 pessoas (com um espaço privado) e mais algumas pessoas do lado de fora. A cozinha emblemática recria pratos do cardápio original da trajetória dos gêmeos. Entre ingredientes costumeiramente usados no dia a dia, conseguem dar sabor especial às belas apresentações. Exemplo é o carpaccio de picanha, servido com vinagrete e batatas ou uma massa (que lembra um guiosa) recheada com caranguejo, foie e sagu no dendê. Influências brasileiras no cardápio com toques e ingredientes típicos, como o biscoito de polvilho recheado com creme de nabo picante da entradinha.

Posts relacionados