CuatroCuatros, Ensenada no México, oferece experiência de rancho com o mais puro luxo. Além da barraca toda equipada, o hotel disponibiliza atividades complementares, como passeio enológico e degustação de vinhos, equitação, proximidade com o beira-mar (com vista incrível) e circuito com cinco tirolesas, além de uma ponte que desafia a gravidade.

Valle de Guadalupe, México – Se falar em acampar te causa calafrios, é porque você não conhece esse vilarejo mexicano. Os quartos são montados em cabanas suspensas por decks, mas em nada lembram aquele desconforto de acampar da adolescência, com saco de dormir e barraca lotada. Aqui, o quarto tem lareira e aquecedor para as noites frias e ar-condicionado para as temperaturas quentes. Os graus variam de 4 à noite para 23 durante o dia. Abuse de cremes… Será possível identificar a região desértica logo de cara.

Ao todo, são 11 quartos single e oito duplos na vizinhança chamada de Valle Central (uma área de 850 hectares, com 1.9 km de encosta com vinhedo, oliveiras, praia, mar e montanhas). O nome do CuatroCuatros pegou emprestado alguns signos e seus significados de sorte, como o trevo de quatro folhas, rosa dos ventos e os quatro pontos cardeais (sudeste, nordeste, noroeste e sudoeste).
Nas cabanas, a cama king size e as poltronas de relax expõem que o conforto aqui é a palavra de ordem. Não à toa, vendem a experiência como glamping: camping com glamour. As taças de vinho sobre a mesa de apoio te fazem entender que você está em uma região produtora da bebida (o hotel fica dentro de uma vinícola). Junto às taças, uma cafeteira elétrica vai te deixar à vontade para se sentir em casa. No canto, há uma arara para pendurar suas roupas e dar um clima mais de casa.

Atrás do quarto, um banheiro com espelho gigante digno de camarim de estrelas. Mais para trás, vaso sanitário e o box para banho. Uma porta de correr, de vidro, separa a área externa de ambos os lados. Em um primeiro momento, você se imagina em um Big Brother, com todo mundo te olhando. Mas é só impressão. Porque o banheiro é ladeado de madeira até altura dos ombros… Por isso essa má impressão, caso você seja mais tímido. Do (outro) lado, ainda fora da cabana, uma espreguiçadeira te convida para relaxar. Do outro lado dessa areazinha, duas poltronas servem para um chá da tarde, um papo ou simplesmente curtir a paisagem verde no entorno do CuatroCuatros.

Na baixa temporada, o café da manhã é servido no restaurante, à la carte. A maioria das combinações feita com ovos, queijo, tortilhas, frango, feijões e molhos (em versões apimentadas e outras um pouco menos). Mas dá para pedir um café com leite, por exemplo. Pode iniciar com um prato de frutas com iogurte ou pães e emendar os pratos tipicamente mexicanos, como chilaquiles ou enfrijoladas, para sentir um paladar mais local.

À noite e no almoço, as recomendações são massas, peixes e frutos do mar, como os camarões. Os doces não são tão açucarados como o dos brasileiros. Peça um queijo com frutas vermelhas e marmelada. Você não vai se arrepender…

Ponto ruim: a internet é temperamental. Funciona de vez em quando, de forma intermitente. Não pega sinal de celular, também. Mas se o seu foco for relax total e detox das redes sociais e dos e-mails corporativos. Por favor, compre já sua passagem.

Diárias
A diária da cabine single custa MX$3,650 (cerca de R$ 620), equipada com uma cama King size. A diária da cabine dupla custa o mesmo valor, mas há um acréscimo de MX$ 500 (aproximadamente R$ 90) por convidado acima de 15 anos. Na cabine, é permitido duas crianças menores de 15 anos e 2 adultos. Nesta configuração, a cabine ganha mais uma cama. Durante o fim de semana é preciso reservar ao menos duas noites. Em datas comemorativas e no festival do Vinho, em agosto, as tarifas mudam sem aviso prévio.


Futuro próximo
Um novo hotel está para abrir em setembro de 2018. No mesmo complexo funcionará ainda o Río 15: comunidade de 15 casas (de 200 a 272 m²) dentro do complexo da vinícola. Serão suítes/quartos de madeira, seguindo a linha das cabanas, cuja decoração tem itens exclusivos. E também o Casa Club, com 16 casas a 256 metros acima do nível do mar, em frente ao Pacífico.


ATIVIDADES
Além das atividades propostas lá embaixo, o hotel oferece algumas longe da fazenda, como paraquedismo, rally, mergulho e golfe. Ainda é possível desvendar a costa de Ensenada, praticando esportes aquáticos ou navegação em veleiro. Há ainda uma rota de praias, como Golfo de Cortes, San Felipe e Delta Rio Colorado. Para quem gosta de vinho, agosto é o melhor mês para visitar, pois há um grande festival para os amantes da bebida, foodies e aqueles interessados em arte, cultura e diversão. Às dicas!

Equitação
Em um primeiro momento, a ideia de subir uma montanha a cavalo pode parecer estúpida, caso você não tenha nenhuma experiência em equitação. Mas, ao longo do trajeto, e o carinho do animal, vão te conquistar a cada trote. Com o clube de equitação, saia cedo do hotel para não pegar tanto sol na subida. Leve água e um lanchinho. Para nossa sorte o dia em que fizemos o percurso o tempo estava nublado e, em alguns pontos, choveu (o que ajudou a refrescar). Como ninguém do nosso grupo tinha experiência, optamos fazer apenas metade do caminho: chegar ao cume da montanha, apreciar a vista e voltar. Mas, se você tiver tempo, desça até a praia. Os cavalos são bem mansos. Há um casal fofo, chamado Paloma e Palomo, que ficam disputando corrida. Então, prepare o abdômen para rir e trotar, enquanto eles estiverem nessa “disputa”. Preços sob consulta!

Como chegar?
Se você for de São Paulo, há voos diretos para a Cidade do México, partindo de Guarulhos. Nós viajamos de Aeroméxico, mas há voos da Copa e Avianca, também. Da capital mexicana, mais um voo, agora direto para Tijuana. De lá, alugue um carro ou pegue um transfer de aproximadamente 1h30 até o hotel (fale com a sua agência na hora de reservar o hotel, ele indicará a melhor opção). O hotel fica a 90 minutos de carro, de San Diego, Califórnia (nos Estados Unidos), a 15 min ao norte do Porto de Ensenada, na Bahia de Salsipuedes, e a pouquíssimos minutos do Valle de Guadalupe. A vista da viagem é linda, passando por Rosarito, no clique abaixo:


O repórter viajou para a região de Baja California a convite do Visit Mexico, em press trip organizada pela MSL Group. As atividades tiveram curadoria do Club Tengo Hambre, coletivo de hosts que trabalha como espécie de concierge, assessorando grupos que querem experiências como um autêntico local. / Algumas fotos da galeria abaixo foram gentilmente cedidas por Amanda Saviano, do blog AmandAqui.

    Entre junho e julho

    Quando Visitar

    Durante a temporada de Verão a temperatura é ideal para sair a qualquer hora do dia, segundo nossos cicerones do Club Tengo Hambre. Na Primavera o clima também é bom, mas na baixa temporada você vai sentir falta dos lugares mais populosos, como acontece no ápice do calor. No verão, com certeza, você vai encontrar mais gente e terão muito mais eventos para curtir!

    5 / 21ºC
    Dezembro e janeiro
    25 / 42ºC
    Julho e agosto

    Circuito de tirolesas

    O que fazer
    Se esportes de aventura é sua praia, o Cuatro Cuatros oferece este tipo de atividade em parceria com o Desert Nest Zip Line Baja. A poucos quilômetros da recepção, há um circuito de cinco tirolesas e uma ponte suspensa, que lembra aquela assustadora da infância, do programa “Domingão do Faustão”. A mais alta do circuito tem em torno de 90 metros de altura (equivalente a um prédio de 40 andares). Os trechos vão de 600 metros de distância a 1 km de extensão. E seu corpo pode fazer esse caminho em uma velocidade de 35 a 65 km por hora, dependendo do vento. A última etapa, em cima de uma plantação de oliva, aterrissa em uma área de descanso com banheiros e bar. Pronto para água e drinks! O passeio custa US$ 80 (cerca de R$ 265).

    ...na verdade aqui é onde beber!

    O que comer
    Uma das atividades propostas para os hóspedes é experimentar os vinhos produzidos na vinícola do “quintal” da fazenda, com explicação do sommelier. São produzidas 1500 caixas de vinhos ou 18 mil garrafas por ano. Entre os sabores, estão: Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Grenache. Após fermentar, a bebida fica 44 meses no barril de carvalho (quase 4 anos). Agora, eles estão abrindo a safra de 2013. Sem rótulos, mas com o brasão da fazenda, cada garrafa custa US$ 65, em torno de R$ 217. E você pode levar pra casa! Além do Bar Bura e da vinícola, onde acontece a degustação , há um bar que fica dentro de um barco, mas na época em que visitamos (dezembro de 2017), ele estava fechado devido à baixa temporada.

    Bar Bura

    O que ver
    Também dentro da propriedade da fazenda, mas com vista invejável para o Pacífico, o Bar Bura tem extensa carta de vinhos (alguns produzidos pelo próprio selo do Cuatro Cuatros, seleção regional e nacional), gin, mescal, licor, tequila, rum, coquetéis e cervejas artesanais. A decoração é rústica. Há sofás feitos com feno, mesinhas e cadeiras de madeira. Um charme! A cozinha tem inspiração mediterrânea, com pratos para petiscar, como o patê de pescado, por exemplo. Mas há tábua de queijos, hambúrguer, tortillas e tacos. Programe-se para visitar em um pôr-do-sol. Se você chegar lá quando o sol já tiver se posto, vai perder a parte mais bonita: a vista.

    Posts relacionados