Eleito uma das sete maravilhas do Mundo Moderno, Machu Picchu é o sítio histórico mais famoso da América do Sul. A cidade sagrada Inca encanta tanto por sua história e avançada arquitetura quanto pelo seu simbolismo.

Machu Picchu, Peru – As ruínas de Machu Picchu ficam em uma montanha a 2,5 mil metros acima do nível do mar, nas Cordilheiras dos Andes, e recebem aproximadamente 500 mil turistas por ano. Durante o Império Inca, no sec. XV, era uma cidade e centro de estudo de Astronomia, Agronomia, Medicina e Arquitetura. A cidade Inca é especial, além do seu nível de conservação ser absurdo, já que os espanhóis nem sequer passaram perto para destruírem. Machu Picchu foi (re)descoberto pelo historiador americano Hiram Bringman em 1911, até porque os locais já conheciam bem.

Antes de começar a explorar as ruínas, a vista de Machu Picchu pela trilha do lado esquerdo é imperdível

Uma das cidades mais míticas do planeta, Machu Picchu, fica a 150 km de Cusco. Toda feita de rocha, não foi saqueada e escondida pela natureza durante muito tempo. Sua finalidade ainda é incerta, uma vez que a língua quéchua é apenas falada, não tendo registros escritos. Cidade de descanso do imperador Inca Pachacútec, centro astronômico, agrícola ou sagrado, não se sabe, mas que o lugar é especial e encantador…isso, ninguém tem dúvidas.

Conheça o Peru, além de Machu Picchu

São várias construções para passear em uma visita sempre guiada (também precisa reservar com antecedência e levar o passaporte), entre elas: Templo do Sol (única construção de forma circular), Praça Sagrada, Intihuatana (indicados dos solstícios), Templo das Três Janelas e Terraços Agrícolas.

Onde comer em Lima, capital do Peru

Terraços agrícolas de Machu Picchu

Se a disposição permitir, uma caminhada até a Porta do Sol (Intipunko) tem uma imperdível vista de toda a cidade Inca. São 4km de subida, acompanhando a montanha. É ali que chegam os aventureiros do Caminho Inca, local onde era controlado o acesso à cidade.

Por dentro do novo restaurante MIL Centro em Moray, de Virgílio Martinez (Central)

Águas Calientes é a cidade na base da montanha que reúne hotéis, restaurantes e a estação de trem. A viagem para Machu Picchu já é uma aventura. Seja caminhando dois ou quatro dias pela Trilha Inca ou de trem, ate Águas Calientes e depois subindo de ônibus. O passeio de trem  para Machu Picchu oferece vistas espetaculares das montanhas e selva à medida que desce às florestas tropicais ao longo do rio Urubamba- a 2,1 mil metros. São vários tipos de trem, do mais simples ao com teto panorâmico ou super luxuoso. São duas empresa que operam: Peru Rail e Inca Rail.

Caminhada até a Porta do Sol (Intipunko) são 4km de subida e é imperdível

A montanha icônica ao fundo de Machu Picchu chama-se Huayna Picchu e pode ser escalada em um passeio radical de até 90 minutos. A caminhada em direção à Puerta del Sol (Inti Punku), antigo ponto de controle para entrar em direção à cidadela, é imperdível. O portal ainda é por onde chegam todos os viajantes que percorrem o Camino del Inca, de lá a vista panorâmica das alturas do santuário é de tirar o fôlego.

Vista da Porta do Sol, por onde chega quem vem pelo Caminho Inca

Como chegar?

A partir de Cusco (1h30 de Lima de avião) duas estações de trem levam a Machu Picchu: Poroy (3h de percurso), cidade que fica meia hora de carro de Cusco; ou Ollantaytambo (1h50), além do percurso desde Cusco (1h30). Os trens levam a Águas Calientes (ou Machu Picchu Pueblo) de onde precisará pegar um dos ônibus credenciados para fazer os 9km restantes montanha acima. As paisagens no caminho são estonteantes, do vale sagrado a floresta.

Trilha Inca

Uma trilha que corta montanhas liga o Vale Sagrado a Machu Picchu e é uma das estradas criadas pelos Incas para conectar seu vasto império. O caminho completo de 39 km leva quatro dias para ser percorrido e passa por uma série de sítios históricos Incas, como Wiña Wayna, Runkurakay e Sayacmarka. São apenas 500 pessoas por dia que podem passar, acompanhado de guia, por isso é essencial reserva com antecedência. Existe a possibilidade de fazer essa trilha em dois dias, cortando um bom pedaço do caminho por trem, sem dormir no caminho, somente em Águas Calientes.

O que visitar em Cusco e onde comer na cidade e Vale Sagrado

Quando visitar?

O Peru tem duas estações marcantes: seca e úmida. O inverno é o período seco, que vai de abril a outubro. Já o verão, é húmido, o que significa chuvas e vai de novembro a março. O Peru tem mais uma peculiaridade: seu território abriga de deserto a Floresta Amazônica, isso significa que deve consultar o clima da região que pretende visitar, já que formam microclimas.

Machu Picchu é melhor ser visitado no inverno, fora da estação chuvosa, já que muitos dias o Caminho Inca fecha. De abril a junho ou setembro a outubro são as melhores épocas para visitar – pelo clima e para fugir dos picos de visitação (julho e agosto). De novembro a março chove muito, não é recomendável.

No mesmo dia em Machu Picchu o clima muda várias vezes, de sol, passa a chover.

Lembre que o clima no Vale Sagrado muda muito rapidamente o dia todo, é possível ver chuva, frio, calor e vento em um mesmo dia. Ou seja, uma mala com peças impermeáveis e trocas de roupas é essencial. E não esqueça do tênis de caminhada. Vai precisar!

Fotos: Daniela Filomeno e Rodrigo Zorzi  

As espetaculares Salinas de Maras no Peru

Posts relacionados