Bangkok é rica em atrações culturais, históricas e gastronômicas tanto que pode até monopolizar a atenção dos turistas. São mais de 300 templos, ótimos restaurantes, shoppings e bairros interessantes. Mas grandes atrações estão nos arredores de Bangkok e valem a visita, entre elas:

Mercado flutuante Damnoen Saduak

Não tinha ideia que o famoso mercado flutuante Damnoen Saduak não ficasse em Bangkok. Aliás, a imagem que tinha de Bangkok de uma cidade caótica, com os barcos se espremendo em canais, lojas e mercado flutuante era, na verdade, parte da imagem de Damnuen Saduak, na cidade de Rachaburi, há 100km, a 1h30-2h da capital. Começou em 1960, com mulheres que trocavam comidas com suas vizinhas, a partir de suas casas, às margens dos canais. O povoado de que começou Damnoen Saduak, este mercado flutuante na cidade que possui mais de 300 canais.

arredores-bangkok-1

Vibrante e colorido, ele possui inúmeros pequenos barcos carregados de frutas e legumes, remados por mulheres tailandesas e seus chapéus bamboo. Lotada, com centenas de vendedores, compradores e turistas, a melhor maneira de experimentar a atmosfera do mercado é a bordo de um barco que circula nos pequenos canais para comprar produtos locais.

Vale pegar o barco da dock, de onde eles saem para ir ao mercado, e fazer o passeio pela cidade e seus canais até o mercado. Aqui a ordem é pechinchar: os preços são colocados nas “alturas” (se converter, ficará com vergonha de pechinchar muito, afinal é o sustento deles).

arredores-bangkok-2

Dica imperdível de street food para quem vai visitar: há três gerações esta família comanda uma discreta barraquinha à beira da avenida principal, onde se concentram os barcos que fazem as vendas no mercado flutuante. Como achar? É a primeira barraca ao entrar no mercado por terra e a fila deixa a barraca inconfundível. O Noodle, feito na hora, leva camarões secos e pode ser misturado com carne vermelha, frango ou porco. Especiarias e pimenta, lógico, não faltam. E o preço? Acreditem! 1 dólar.

Ayuthaya History Park

Ayuthaya, antiga capital do Sião (de 1350 a 1767), fica a 1,5 horas de Bangkok. Fundada em 1350 pelo rei U-Thong, passou por 33 reinos e por mais de 70 anos de guerras, quando em 1767 foi destruída pelo exército birmanês. Hoje, as ruínas da cidade antiga são Patrimônio Nacional da UNESCO.

arredores-bangkok-3

Lá vale visitar os templos Wat Phanan Choeng – chegue cedo para ver a linda cerimônia budista, antes de visitar o Buda sentado; Wat Yai Chai Mongkol, ruínas do mais importante templo do antigo Sião, onde ficam as diversas estátuas de Buda sentados, com vestimentas laranjas.

arredores-bangkok-4

Passeie pelas ruínas de Wat Phra Si Sanphet, um antigo templo real durante os dias de Ayutthaya de glória; Wat Mahathat, onde as raízes de uma árvore cercam a cabeça do Buda; e Wat Chai Wattanaram, um exemplo perfeito da arquitetura Khmer.

arredores-bangkok-5

No caminho, vale visitar o Palácio de Verão Bang- Pa-In, a 60km de Bangkok, uma mistura impressionante da arquitetura do Oriente e do Ocidente que remonta ao século 17.

Kanchanaburi

A história de Kanchanaburi se mistura com a famosa ponte do rio Kwai, controlado pelo exército japonês na Segunda Grande Guerra e imortalizada pelo premiado filme homônimo que levou vários Oscar. Possui memórias da guerra no Jeath War Museum. A cidade oferece linda paisagens no oeste da Tailândia, com montanhas e cachoeiras. Destaque para a Huay Mae Kamin Waterfall e suas quedas.

arredores-bangkok-6

A 55 km está a Krasae Cave ou Tham Krasae, uma gruta, que abriga imagens sagradas de Buda, ao lado dos restos sobreviventes da Ferrovia da Morte com vista para Khwae Noi River.

arredores-bangkok-7

Também há o Temple Tham Khao Noi e o Wat tham Sua que valem a visita. A cidade possui um lindo hotel flutuante, o Float House River Kwai, para quem quiser esticar a estada.

arredores-bangkok-8

Mercado flutuante Amphawa

Mais uma opção para ver a tradição dos mercados flutuantes tailandeses, o de Amphawa fica a 2 horas de Bangkok, funciona de sexta a domingo, e não tem muitos turistas.

Fotos: Daniela Filomeno e Shutterstock

Posts relacionados